Generic selectors
Pesquisa exacta
Pesquisar em título
Pesquisar em conteúdo
Pesquisar em artigos
Pesquisar nas páginas
Filtrar por Categorias
Eventos
Festividades
Institucional
Judaísmo
Ligações
Personalidades

Como construir uma suká?

  |   Festividades, Judaísmo

A palavra suká סוכה quer dizer “cabana”. A mitzvá de construir cabanas é baseada em Levítico 23:42 e nas interpretações rabínicas (no tratado da Mishná “Sukkah” e no Talmude.) Por muitos anos no judaísmo progressista só tinha uma suká para a congregação, mas nos últimos anos mais gente foi construindo sukot para si mesmas. Construir uma suká atribui um aspecto especial à vida judaica, não só fazer ou acreditar, mas também experimentar alguma coisa especial por uma semana.

 

QUANDO?
Seria bom começar a construir a suká a partida de Iom Kipur como a primeira mitzvá após Iom Kipur. Se não for possível deve-se começar na manhã seguinte… pelo menos o mais cedo que possível depois do Iom Kipúr. (Seria interessante perguntar-se a si mesmo qual a relação entre Iom Kipur e Sukot.) A mitzvá é construir uma suká, pelo menos ter parte de uma construção.

 

1ONDE?
A suká deve ser construída directamente sob o céu, sem nada entre o tecto e o céu. Então, não se pode construir uma Suká sob um telhado ou sobre uma árvore. O judaísmo progressista pergunta além disso: o que seria melhor? Não construir uma suká em caso de não haver espaço correcto? Ou construir uma suká mesmo num lugar que do ponto de vista da ortodoxia não seria kosher? (Ver o CCAR responsum aqui.) Então, o judaísmo progressista ensina a fazer mais: não sendo possível fazer uma mitzvá, pelo menos tentar fazer um aspecto dela.

 

2AS PAREDES – COMO SE ENFEITAM?

Tradicionalmente, uma suká deve ter, pelo menos, um espaço de 56 cm x 56 cm. Normalmente, é maior, porque é bom estar juntos uns com os outros na suká. Pode ser tão grande quanto necessário. Por exemplo, uma suká para uma congregação deve ser grande. A altura deve ser de pelo menos 80 cm, mas também é claro que, idealmente, seria maior. Mas também se sabe que não se precisa ficar em pé ou circular dentro da suká, só se precisa de estar sentando para comer.

 

3A suká deve ter, pelo menos, duas paredes completas mais uma parte de uma terceira parede incompleta. É preferível, no entanto, que a suká tenha quatro paredes completas, e uma delas teria uma entrada. Por ordem de preferência, uma suká deve ter 4 paredes completas, ou 3 paredes completas, ou 4 paredes incompletas (com um espaço entre a parte superior da parede e o tecto) ou 3 paredes incompletas. Aqui, a mesma pergunta como acima se pede no judaísmo progressista: O que seria mais importante? Não poder fazer a mitzvá por causa de não ser possível ter uma suká de acordo com as regras, ou fazer uma suká que seja possível para cada um?

 

4As paredes podem ser feitas de qualquer material, mas este deve ser suficientemente forte para permanecer quando o vento sopra. Então, poder-se-ia usar, por exemplo, madeira, tecido, plástico, etc. – mas nada com odores estranhos, claro. Podem também ser usadas paredes já pré-existentes.

 

5


 

O TECTO – COMO É FEITO?

O tecto – que se chama סכך (sechach) –  é a parte mais importante da skcá. Por isso, existem várias regras especiais só para isso. Ele tem de ser construído, a cada ano, de novo para a festa. Porém, as paredes podem ser deixadas de pé todo o ano.

O tecto tem que ser feito de vegetação isolada da sua fonte de crescimento. Então, galhos ainda ligados a uma árvore não podem ser usados. O comum são ramos verdes cortados, varas de bambu, juncos, talos de milho, tiras estreitas de madeira, ou esteiras de Sechach especiais que podem ser compradas nalguns países (por exemplo aqui).

O sechach deve ser denso suficiente para dar sombra, para que ao meio-dia haja mais sombra do que sol no chão da suká, e fino suficiente para que ainda se possa ver o céu. A maior parte do telhado deve ser coberto com sechach.

 

6Embora não seja necessário, é também uma mitzvá decorar e embelezar a suká e fazê-la mais bonita, tanto quanto possível. Podem-se pendurar frutas e legumes ou guirlandas, podem colocar-se pinturas nas paredes. Normalmente, uma suká tem cadeiras e uma mesa dentro, porque durante Sukot é uma mitzvá ter a refeições na suká. Muitas pessoas também montam um sistema de iluminação para estar na suká durante a noite. (Imagine-se que na Inglaterra algumas pessoas têm até um tipo de sistema de aquecimento dentro da suká.) Nos países quentes, as pessoas colocam sacos-cama dentro da suká para dormirem lá durante Sukot.

 

7O mais importante: Cada pessoa deve gostar de estar na suká. Se é sentido frio a mais, calor ou chuva, se não é um prazer estar dentro por qualquer razão, então não se deve lá estar. Poder-se-á comer rapidamente alguma coisa da quantidade de uma azeitona e depois voltar dentro de casa, pois se não é um prazer estar na suká, não se deve estar lá. Façamos o que gostaríamos de fazer durante sukot – a mitzvá é: ser feliz.


 

 

A BENÇÃO

A benção antes de sentar na suká:

ברוך אתה יי אלהינו מלך העולם אשר קדשנו במצוותיו וציונו לישב בסוכה

Barúch atá adonái, elohénu mélech ha’olám, ashér kideshánu bemitzvotáv, vetzivánu leshév basucá.

Bendito sejas Tu, o Eterno, nosso Deus, Rei do Universo, que nos santificaste pelos Teus mandamentos e nos ordenaste sentar na Suká.

 

[Só na primeira vez na suká deste ano se diz também:

ברוך אתה יי אלוהינו מלך העולם שהחיינו וקיימנו והגיענו לזמן הזה

Barúch attá adonái, elohénu mélech ha‘olám, shehecheiánu vekie-mánu vehigi-ánu lasmán hasé.

Bendito sejas Tu, o Eterno, nosso Deus, Rei do Universo, que nos conservaste em vida e nos amparaste e nos trouxeste até ao dia de hoje.]

 

 

Acessos: 400

Annette Boeckler
Dr.ª Annette Mirjam Böckler é professora de Liturgia Judaica e Bíblica na Universidade Leo Baeck, em Londres, onde é também Bibliotecária. Escritora e tradutora em matérias Judaicas (sendo a tradutora do Seder haTefillot - o primeiro livro de Orações liberal após o Shoah na Alemanha), tem desenvolvido a tradução da edição alemã dos comentários da Torah de W. Gunther Plaut.