Generic selectors
Pesquisa exacta
Pesquisar em título
Pesquisar em conteúdo
Pesquisar em artigos
Pesquisar nas páginas
Filtrar por Categorias
Eventos
Festividades
Institucional
Judaísmo
Ligações
Personalidades

Mês de Elul

  |   Judaísmo

No domingo passado, dia 4 de Setembro de 2016, começou o mês judeu “Elul”. Um Midrash bem conhecido explica que o nome do mês – אלול alef, lamed, vav, lamed – são as primeiras letras da frase “ani ledodi vedodi li” אני לדודי ודודי לי, que quer dizer: “Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu” (Shir haShirim / Cântico dos Cânticos 6:3). Porém, do ponto de vista do historiador, o nome do mês é da Babilónia – como todos os nomes do calendário judeu, – e Elul provavelmente quer dizer “colheita” em acadiano. Mas o Midrash torna muito mais claro o que está em causa: O mês de Elul é o tempo do arrependimento se preparando para as Grandes Festas Rosh haShaná e Iom Kippur. É um tempo muito especial.

Tem vários costumes para o mês de Elúl, mas claro que a maioria não acontece numa sinagoga pequena.

* Cada dia depois das rezas da manhã se toca o shofar. Claro que isso só se faz numa congregação muito grande que tenha serviços todos os dias. Mas pode-se escutar o som de shofar na internet ou tocá-lo para si mesmo.

* No fim do cada serviço, depois se lido o Salmo 27. Por isso, no fim dos serviços de shabat e antes da reza do “Alénu”, alguém deverá ler esse Salmo, todos os dias até ao fim de Sukkot. É um texto muito bonito que explica a relação entre D’us e Israel e o significado das Grandes Festas. O texto do Salmo 27 pode-se ler online.

* Durante o mês de Elul se dizem rezas especiais, que se chamam Selichot, “pedir perdão”. São poemas sobre a relação de D’us e Israel. A frase mais importante neles é uma citação da torá (Exod 34:6-7): “Eterno, Eterno, D’us misericordioso e piedoso, tardio em irar-se, abundante em benignidade e verdade, que guarda benignidade para duas mil gerações, que perdoa a iniquidade, a rebelião e o pecado, e absolve.” Os Asquenazitas começam a dizer as Selichot uma semana antes de Rosh haShaná, os Sefarditas  dizem-nas todo o mês de Elul. Nalguns países é comum ter um concerto na sinagoga com a música das Selichot e das Grandes Festas. Todas as melodias são diferentes durante as Grandes Festas, então é bom ouvi-las antes para se preparar. O som das Selichót.

* O Elul é o tempo em que nós reflectimos sobre a nossa vida, especialmente sobre as relações com os outros. O Iom Kipúr, no mês que vem, só perdoa coisas entre nós e Deus. O perdão entre nós, seres humanos, temos de o fazer antes de Iom Kipur.

* É um costume visitar os túmulos das pessoas queridas durante o mês de Elul. Por vezes, as sinagogas oferecem um serviço em memória. Faz-se isso para nos lembrarmos do que aprendemos dessas pessoas e como podemos melhorar a nossa vida.

* E finalmente, há o costume de escrever cartas antes do Ano Novo (Rosh haShaná). Desejamos שנה טובה ומתוקה “um feliz ano novo e doce” ou: לשנה טובה תכתבו “Seja inscrito para um bom ano novo”. Pode escrever uma carta eletrónica também aqui.

Dr.ª Annette Boeckler

Acessos: 1676

Annette Boeckler
Dr.ª Annette Mirjam Böckler é professora de Liturgia Judaica e Bíblica na Universidade Leo Baeck, em Londres, onde é também Bibliotecária. Escritora e tradutora em matérias Judaicas (sendo a tradutora do Seder haTefillot - o primeiro livro de Orações liberal após o Shoah na Alemanha), tem desenvolvido a tradução da edição alemã dos comentários da Torah de W. Gunther Plaut.