Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Filter by Categories
hp3

Ohel Jacob

A Sinagoga Ohel Jacob (“Tenda de Jacob”) foi fundada em 1934 por um pequeno grupo judeu de origem askenazi, vindo da Europa Central, que começou por se reunir nas instalações da já então estabelecida Hehaber – Associação de Juventude Israelita –, instituição de cariz sionista, que havia sido criada por jovens israelitas, em Lisboa, em 1925. Este grupo de judeus, na maioria polacos, viria a desempenhar um papel notável na dinamização deste espaço religioso, uma sinagoga singular, caracterizada pela sua abertura ao exterior, tolerância e compreensão para com judeus de todas as origens, em especial a integração dos descendentes de marranos – ou b’nei anussim –, esses filhos dos “forçados” em busca das suas raízes e identidade judaicas. Mas para melhor se entender o carácter extraordinário desta iniciativa, há que, ainda que resumidamente, expor o contexto e antecedentes históricos relacionados, com destaque para a origem destes anussim em Portugal. > Ler Artigo Completo

Hehaver

Após a Lei da Separação do Estado e da Igreja e a nova Constituição que conferia aos judeus portugueses os mesmos direitos dos outros cidadãos (1911), é finalmente permitida a aprovação dos Estatutos da primeira congregação judaica em Lisboa, que se desdobra em inúmeras iniciativas privadas, e é neste contexto que é fundada a Associação de Juventude Israelita Hehaber, em 1925, por um grupo de jovens israelitas de Lisboa, que assumiria papel de grande destaque por altura da Segunda Grande Guerra. Uma instituição que começou por abranger “actividades sociais e lúdicas, com aulas de hebraico, jogos de salão, etc., sedeada inicialmente na Rua Alexandre Herculano, e que congregava tanto jovens judeus sefarditas como os askenazis que foram chegando depois.” > Ler Artigo Completo
hp2