Generic selectors
Pesquisa exacta
Pesquisar em título
Pesquisar em conteúdo
Pesquisar em artigos
Pesquisar nas páginas
Filtrar por Categorias
Eventos
Festividades
Institucional
Judaísmo
Ligações
Personalidades

Blog

IAMIM NORAIM 5778 NA OHEL JACOB… uma experiência transcendente

  |  

Conheci a Ohel quase às vésperas de Rosh Hashaná, quando buscava uma sinagoga em Portugal para as Grandes Festas. Uma amiga querida – a Soferet Rachel Reichhardt – me colocou em contato com pessoas muito especiais, que vieram fazer parte de dias incríveis e ficaram marcadas no meu coração.
Na busca de uma sinagoga que tivesse uma linguagem na qual me sentisse confortável e pertinente, conheci a Ohel Jacob. Logo no primeiro contato, aquele espaço pequeno e simples me causou uma emoção imensa, me remetendo à casa de meus avós paternos e me enchendo de lembranças. Mas foi no momento em que o Aron Hakodesh foi aberto, que meu coração transbordou em lágrimas ao ver as Torot antigas, ali guardadas e tão bem cuidadas, e quase ouvir seus sussurros, contando suas histórias.
Dali em diante, participamos dos serviços de Rosh Hashaná muito tocantes, interativos e de profunda reverência. Toda a mescla de minhaguim ali praticada, me remeteram a uma forma viva e vibrante de praticar o Judaísmo, com limites sempre respeitados e um olhar atento para o futuro. Conforme nos ensinou Rav Avraham Kook, “o antigo deve ser renovado e o novo deve ser santificado”. Também dentro de mim, senti uma mescla de emoções e do tempo se misturando. Cantar alto num serviço alegre, e me perceber num apartamento no terceiro andar, me remeteu a outras épocas de proibições e perseguições, quando não podíamos sequer cantar deste jeito… e aí mesmo que cantava com mais kavaná!
A leitura da Torá – realizada pela Baalat Korá Rachel Yeshurun – foi um capítulo à parte: uma leitura cuidadosa, preparada e emocionada, em total sintonia com o texto, com o momento e com as pessoas ali presentes. Sou Morá de Torá e foi impressionante perceber a vida que Rachel dava ao conteúdo do texto, transmitindo de forma delicada, porém firme, a mensagem ali contida.
Além disso, a colaboração de meu marido – o Chazan David Alhadeff – nos serviços, me fez sentir mais em casa ainda. Todos interagiam como se sempre tivéssemos frequentado a comunidade e puderam saborear um Chazan experiente e comovido com uma nova e inédita vivência.
Outro ponto extremamente emocionante se deu no início do serviço de erev Rosh Hashaná, quando David começou a entoar Hine matov umanaim e, aos poucos, os congregantes do kahal, e os visitantes de vários países cantaram juntos, reforçando o que diz a letra e fazendo daquele momento um sentimento inesquecível.
E o que dizer do almoço depois do Shacharit, quando parecíamos uma família? De lá seguimos juntos, conversando e nos aproximando, até o Tashlich num lago numa praça no centro de Lisboa. Muitas emoções em tão pouco tempo!!
Agradeço à Adriana, Ana, Raquel, Danilo, Fernanda e Paula que nos proporcionaram dias tão intensos e transformadores.
Que 5778 nos traga essa energia de renovar o antigo e santificar o novo, em nossas vidas e no Judaísmo!

 

Shaná Tová ve Todá Rabá!!
Regina

Acessos: 113